O dilema de todas as consultas e até o meu próprio dilema em alguns dias: morro de fome e não sei como controlar, tenho dias que me apetece comer tudo o que está à minha frente, até o frigorífico!

Existem formas de conseguirmos controlar estes ataques momentâneos a tudo o que nos aparece à frente, esta compulsão louca por coisas que têm pouca riqueza nutricional ou, que até podem ter riqueza nutricional mas são só extra calorias que não deviam ser consumidas.

Desde miúda que devoro comida, talvez pelo meu feitio, pela minha forma apressada de lidar com tudo e achar que o tempo acaba se eu não fizer aquilo depressa ou até só mesmo porque adoro comer e fico a babar só de olhar para a comida. Na verdade, tenho tentado calmamente melhorar isto até porque faz com que eu não tenha tempo de me saciar e ao mesmo tempo coma mais do que devia, pois o meu corpo não tem tempo suficiente de perceber que está satisfeito. Acredito que muitos de vocês desse lado se estejam a identificar, mas bora lá pessoal, tal como tudo na vida, o ser humano adapta-se ao que tem de se adaptar e, se comer mais devagar vai melhorar todo o nosso corpo, inclusive esta vontade de comer “tudo e mais um par de botas” e consequentemente gerar aumento de peso ou até desconforto abdominal: está na hora!

Agora a parte da hidratação, por incrível que pareça está tão associada à fome e também é um grande dilema na maioria dos meus clientes. Muito provavelmente, já sentiste fome pouco tempo depois de teres feito uma refeição equilibrada e saído da mesa satisfeito. Pode tratar-se de gula ou simplesmente por uma confusão do hipotálamo, a zona do cérebro responsável por controlar funções orgânicas e sensações relacionadas à fome/saciedade, libido, equilíbrio térmico, metabolismo, circulação e mecanismos do sono. As sensações de sede e de fome podem provocar essa desordem no hipotálamo pelo facto de que uma das maneiras que o organismo tem de conseguir água é através dos alimentos (que contêm água) e, por isso, o cérebro confunde os impulsos, como se precisasse de comer para saciar a sede. A sede no nosso corpo já é um sinal de desidratação por isso devemos ingerir água ao longo do dia sem esperarmos pelo sentimento da sede. Muitos estudos indicam que por vezes quando sentimos fome, pode ser um sinal do corpo indicar que está sim com sede e o beber um copo de água nesse momento e aguardar pode simplesmente acalmar a fome que supostamente teríamos.

Fazer mais refeições ao longo do dia para muitos é um mito ou um capricho, mas na verdade permite fazer com que não existam compulsões alimentares. Se comeres várias vezes ao dia com horários estipulados, faz com que não andes a petiscar ou até mesmo quando chegues à refeição principal devores tudo o que lá está, inclusive o prato.

Por último e não menos importante, ter um prato completo e com todos os macronutrientes, faz com que te sacies durante muito mais tempo: Incluir uma fonte de proteína (carne/peixe/ovo/tofu/soja), de hidratos de carbono (massa, batata, arroz, leguminosas) e uma fonte de gordura (azeite) torna o teu prato muito mais rico e com um poder de saciedade muito maior.

Começa a ouvir o teu corpo, começa a perceber a ajuda que ele está a pedir, não há mais ninguém no mundo que o entenda e o possa ouvir que tu!