Dor de cabeça – Um problema com solução?

É um tema que ainda traz bastantes dúvidas na melhor forma de tratar. Existem ainda muitas questões sobre os tratamentos farmacológicos e, por isso nada melhor que procurar outras abordagens, tais como o exercício físico.

Vamos dividir o tema em duas situações completamente diferentes. A primeira grande questão é “qual é o melhor exercício para prevenir ou reduzir as dores de cabeça/enxaquecas?” e a outra é focada na parte de: “ Quando treino costumo ficar com dores de cabeça ou tonturas, porquê?”.

A dor de cabeça atinge quase 29% da população e é recorrente ver que os sintomas agravam de ano após ano em mais de 22% dessas pessoas, principalmente em mulheres.

O exercício físico, além de ajudar no controlo de peso, é também um motor de redução de stress e ansiedade.

Durante o exercício físico produzimos endorfinas (neurotransmissores) que promovem a sensação de bem estar e que acabam por funcionar como “remédio natural” ou “analgésico” que atua na dor. Por outro lado, durante o exercício também existe um aumento da circulação sanguínea, o que faz aumentar a quantidade de oxigénio ao cérebro.

A verdade é esta:

Meter o corpinho a mexer é um medicamento natural, eficaz e barato! É isso mesmo, barato!

Um estudo feito (Eslami et al 2021) demonstrou que o melhor exercício é o de moderada intensidade, atingindo resultados incríveis, com quase 62% de redução da frequência e intensidade da dor de cabeça e, também de uma redução do número de crises por enxaqueca.

Mas o que significa “moderada intensidade”? Vou dar vários exemplos, mas atenção às condicionantes de cada pessoa, aos gostos e preferências!

Quando se fala de intensidade, falamos de adequação, falamos por exemplo de fazer uma aula de grupo ( localizada ou aeróbica), uma aula de pilates ou yoga, uma caminhada em passo acelerado, no mínimo de 30 min ( todos os dias).

Claro que tudo isto melhora se, juntamente com um profissional de treino, definirmos e percebermos qual destas atividades encaixam melhor na rotina e condição física de cada um.

O Segundo ponto está na questão associado às dores de cabeça ou tonturas após exercício físico intenso. Um estudo levado por australianos (Merrels et al 2021) associa esta situação ao elevado stress metabólico e aumento da concentração geral de lactato no organismo. Por isso, a melhor solução varia entre caminhadas ou corridas lentas (após o treino) ou uma recuperação mais passiva como massagem ou alongamentos nos dias seguintes.

Nunca pensaste que coisas destas estariam associadas pois não? É verdade, o nosso corpo é incrível!

André Conde

Personal trainer