Muitas das vezes as pessoas notam que com a perda de peso começa a existir flacidez e isto tem uma razão. Vamos lá descomplicar este tema.

Podemos dizer que uma dieta com o objetivo de emagrecimento é bem-sucedida quando consegues diminuir a percentagem de gordura corporal sem perder grandes quantidades de massa muscular, portanto a manutenção ou até mesmo o ganho de massa muscular durante uma dieta restrita é uma das prioridades. Se és uma pessoa que perde peso muito rápido deves ter um cuidado especial, e verificar se estás a perder muita massa magra também.

O que os estudos indicam é que um peso perdido de forma muito acentuada, ocorre para além de perda de gordura, muita perda muscular, e o resultado final deste quadro será de flacidez. Assim, isso explica porque é que algumas pessoas, mesmo perdendo quantidade de peso considerável, não ficam com os músculos aparentemente definidos como gostariam, gerando um aspeto magro, mas sem contornos musculares. É imprescindível que a perda de peso seja acompanhada de um profissional de saúde de forma a ser bem direcionada. O peso na balança é apenas uma marca de peso corporal e não reflete a real composição corporal, que é a proporção entre gordura e massa muscular.

Mas existem formas de tentar preservar a mesma ou até aumentar. Como? Certamente não é a carregar-nos de suplementação como a maioria das pessoas faz, meter coisas artificiais para o corpo tornou-se num hábito super rápido e fácil em vez de privilegiarmos uma boa nutrição e o exercício físico.

  • Défice calórico sem extremos: Não se deve fazer cortes drásticos.
  • Ingestão adequada de proteína: A proteína ajuda na manutenção da massa muscular. Num processo de perda de peso, ou seja com défice calórico, devemos consumir 1,5 a 2,5g/kg peso por dia.
  • Treino – Deve ser algo consistente e adequado a ti. Se não tens noções corretas de exercício físico deves sempre consultar alguém da área (Personal trainer).