Hoje vamos ser mais teóricos, às vezes também é preciso mostrar que tudo o que digo é porque estudei e estudo todos os dias para atualizar conhecimentos.

O que é isto da densidade energética vs densidade calórica e para que serve?

Vamos por partes: O que é que te sacia mais? Duas colheres de servir de arroz ou duas colheres de sopa de azeite? A mim é o arroz, espero que a ti também, na verdade. Por sua vez, o mais calórico é o azeite. Então Raquel mas eu fico mais saciada com o arroz, como é que comer 40g de arroz ou 20g de azeite tem as mesmas calorias? Porque o hidrato (arroz) tem uma densidade energética inferior à gordura (azeite). O que é a densidade energética?

A Densidade Energética (kcal/g) é a relação entre a quantidade de energia presente no alimento (em kcal) e o peso da sua porção (em gramas). Ou seja, apenas indica a quantidade de calorias (unidade de energia) contidas num alimento, independentemente do seu perfil nutricional no seu todo. O valor calórico dos alimentos irá depender do teor de macronutrientes (hidratos de carbono, proteínas e gorduras) presentes na sua composição.

Então, sendo assim, quando falamos em hidrato de carbono, sabemos que cada grama possui cerca de 4 kcal enquanto em cada grama de gordura há cerca de 9Kcal.

Por definição, os alimentos de alta densidade nutricional são aqueles que possuem uma elevada quantidade de nutrientes em relação ao seu valor energético. Ou seja, promovem uma maior ingestão de vitaminas, minerais, fibras, ácidos gordos e outros nutrientes essenciais, com menor aporte calórico, ou seja, com menos calorias por 100g.

Isto significa que podemos consumir uma grande quantidade de alimentos e calorias e mesmo assim apresentar carências nutricionais, se os alimentos que estivermos a escolher não tiverem uma grande densidade nutricional.

Exemplos de alimentos com elevada densidade nutricional (alguns podem ter alguma densidade energética também) : ovos, abacate, carnes brancas, brócolos, batata doce, cenouras, espinafres, iogurtes e queijos magros,  frutos secos.

Exemplos de alimentos com elevada densidade energética e baixa densidade nutricional: Folhados, bolos, queijos gordos, fritos, natas, alimentos de pacote, bolachas, etc.

Então daqui conseguimos perceber que se queres realmente um bom prato de comida, deves privilegiar alimentos com menor densidade energética. Desta forma não “passas fome” e consegues resultados na perda de peso da mesma forma!

Não sejam extremistas, obviamente que devemos sempre privilegiar alimentos com uma elevada densidade nutricional, e adaptar as suas quantidades aos nossos objetivos.

Mas sejam felizes e percebam o conceito das coisas para no dia a dia ser mais fácil aplicar!