O outono traz alguns frutos e legumes característicos, como o dióspiro, as castanhas e a abóbora. Respeitar a sazonalidade dos alimentos tem várias vantagens: são habitualmente mais frescos (porque não percorrem longas distâncias até chegar à nossa despensa), mais saborosos (por serem colhidos no ponto certo de maturação) e até mais ricos do ponto de vista nutricional (pois amadurecem de forma natural ainda antes da colheita).

Aproveita bem o outono e o bom que nos traz 🙂

Abóbora

É um dos legumes mais usados nas sopas, mas também pode ser utilizado em compotas e purés. Pobre em calorias, rica em betacaroteno, que o metabolismo transforma em vitamina A, importante para o coração, pulmões, rins, olhos, podendo até reduzir o risco de certos tipos de cancro. Tem boas quantidades de vitaminas C e E, ferro e ácido fólico, nutrientes benéficos para o sistema imunitário. O potássio também é um dos minerais que podemos encontrar na abóbora e que nos ajuda a manter os níveis de pressão arterial dentro dos valores normais e pode ajudar a reduzir o risco de acidente vascular cerebral (AVC), de pedras nos rins e de diabetes tipo 2, além de ser bom para os ossos. Por ser rica em fibra e pouco calórica, a abóbora pode contribuir para uma maior sensação de saciedade.

Agrião

Este vegetal tem muitas vitaminas, minerais (como cálcio, ferro, potássio e fósforo) e antioxidantes. Além de ser rico em vitamina A (boa para a visão, para manter vários órgãos saudáveis e importante para as nossas células), tem também um elevado teor de vitamina C, que mantém o sistema imunitário equilibrado, ajuda-nos a recuperar de feridas e favorece a produção de colagénio. Mas os benefícios do agrião passam também por:

  • Reduzir o risco de cancro
  • Promover uma boa saúde cardíaca
  • Favorecer ossos saudáveis

Dióspiro

De casca fina, o dióspiro é praticamente composto apenas por polpa, cuja fibra promove um bom funcionamento do intestino, a saciedade e níveis baixos de colesterol LDL (também conhecido por “mau colesterol”). O dióspiro é rico em vitamina A, fornecendo 22% da dose diária recomendada, e em potássio (11,5% da dose diária recomendada).

Romã

Muito ricaem antioxidantes – até três vezes mais elevada do que o chá verde -, pode proteger as células de vários tipos de danos, prevenir doenças como o cancro e até contribuir para a redução da inflamação e dos efeitos associados ao envelhecimento.

A romã apresenta alguns efeitos protetores, tais como:

• Reduzir os níveis de pressão arterial

• Baixar os valores de açúcar no sangue e diminuir a resistência à insulina

• Aumentar os níveis de colesterol HDL (o “bom”) e descer os de colesterol LDL (o “mau”), reduzindo o risco de AVC e de enfarte do miocárdio