Ah e tal as pessoas pensam que isto é só fazer dieta e pronto ficam magras!

Há tanta coisa que pode influenciar a perda de peso.

Em primeiro lugar temos de pensar que se há dificuldade em dormir, vamos acabar por nos levantar, querer um aconchego e por isso vamos acabar por ir à cozinha comer coisas rápidas e com alto teor calórico (bolachas, queijos, pão etc).

Vamos à parte mais teórica da coisa:

A falta de horas de sono gera situações que alteram o nosso corpo e naturalmente nos remetem para o aumento de peso, aumentando os valores da grelina e diminuindo os de leptina.

A grelina (hormona da fome), desempenha um papel muito importante no aumento do apetite e ingestão alimentar e no aumento do peso corporal, logo a razão dos valores de grelina estarem aumentados é porque o número de horas de sono foi reduzido.

A Leptina (hormona do apetite) está associada à redução da ingestão alimentar. Encontra-se reduzida quando as horas de sono estão reduzidas.

Quer isto então dizer que uma redução total do sono está associada à diminuição de Leptina e aumenta da grelina levando então uma pessoa ao aumento de apetite, consequentemente a uma maior ingestão alimentar e por fim à obesidade.

Estudos indicam que a restrição de horas de sono, gera um aumento de cerca de 340kcal a mais, o que num plano de perda de peso faz toda a diferença!

Existem várias soluções para regular o nosso sono tais como:

  • Suplementação de melatonina;
  • Ingestão de alimentos ricos em triptofano, cálcio, magnésio e potássio;
  • Diminuição da ingestão de alimentos que estimulem o sistema nervoso central.

Curiosidades:

  • A deficiência em cálcio pode interromper o sono
  • O magnésio diminui a produção de cortisol
  • O potássio previne as cãibras e o sindrome das pernas inquietas.

Conclusão:

Fala com um nutricionista pois adaptar o plano alimentar pode ser uma mais valia.